24 janeiro 2008

Coisa de mulher


Algumas mulheres são contempladas todo mês com um período de mudanças interiores, reflexão e sofrimento. Este período pode variar de 3 a 10 dias e, muitas vezes, pode deixar traumas profundos. Em nós ou em quem nos cerca.
Tudo começa quando vamos vestir a calça jeans e ela não entra. Então perguntamos para a empregada: “você lavou essa calça ontem?” e a resposta vem negativa. Notamos que os seios aumentaram. Ok. Isso é bom. Mas não quando a barriga incha junto. Algumas mulheres se sentem doloridas. E as mais azaradas começam a ter crises de enxaqueca. Acredite, esta é a fase mais tranqüila. É só o começo.
Depois, somos atacadas por uma fome um pouco fora do comum. Eu disse fome? Bem, não é essa a palavra exata. É gula mesmo! E o que melhor nos sacia (para nosso desespero) são os doces, sendo o chocolate eleito como nº 1 no ranking da preferência. Justamente agora que estamos gordas, começamos a comer feito loucas. E não pense que uma simples barrinha de chocolate nos sacia. Pra mim, uma caixa de Bis é ótimo. Como bolachinha. Para acompanhar o leite do café da manhã! Há relatos de mulheres que devoraram uma panela de brigadeiro em menos de 5 minutos.
E como nós estamos gordas e comilonas, o mundo (ah! esse mundo baseado nas aparências!) resolve se voltar contra nós. É o momento em que tudo nos irrita.
Primeiro é o vizinho, que às oito da manhã tem coragem de olhar para nossa cara e nos falar, com aquele sorriso idiota, um “bom dia”. Cretino! Não ta vendo minha cara? Meu cabelo tá uma merda por causa da porra desse vento maldito, eu tô gorda, minha calça tá me apertando e eu tive que levantar da cama nesse frio desgraçado! Você acha isso bom? Se começou assim, imagina como vai ser o resto desse dia desgraçado!
Sim. É isso o que pensamos. Mas como ainda temos um pouco de controle sobre nossos atos (já que não chegamos na pior fase), damos um sorriso amarelo e respondemos cordialmente.
E isso é só o começo pois, como disse, nessa fase o mundo todo resolve conspirar contra nós: a empregada falta bem no dia que tem uma pilha de roupa para passar; aquela amiga que fala mais que o homem da cobra liga pra falar do novo namorado dela e fica com aquele papo meloso de gente apaixonada; seu cachorro descobre o gato do vizinho e resolve latir para ele o dia todo; o delinqüente juvenil do filho do vizinho liga o som no último; sua privada, só de sacanagem, entope; seu arroz queima.
E pobres daquelas mulheres que tem um relacionamento afetivo e/ou sexual com um representante da subespécie. Os homens têm faro pra TPM e fazem de tudo pra nos atormentar neste período. Não, eles não têm noção do perigo.
Se você está triste, deprimida e dolorida, pode ter certeza de que ele vai ligar convidando-a para ir naquela suuuper festa (coisa que ele nunca faria em um dia que seu humor estivesse normal). Ou então ele vai ligar avisando que não pode te ver porque vai na despedida de solteiro de um amigo, e depois vai aparecer na sua casa às três da manhã, bêbado e tarado, quando tudo o que você queria era que ele tivesse aparecido no começo da noite com uma barra de chocolate e um filminho “água com açúcar” e assistisse ao seu lado, quietinho, abraçadinho, quase como um objeto inanimado, não fosse pelos olhares apaixonados que ele te lançaria durante as cenas românticas.
Depois de todo esse sofrimento, chegamos à fase final: gordas, incompreendidas e abandonadas, o que nos resta é chorar. Chorar e desejar que o gato do vizinho pule na cara do maldito cachorro que não pára de latir, que sua amiga apareça na sua casa e engasgue com seu arroz queimado, que seu namorado fique quieto, mudo, parado e que, se possível, se transforme numa pedra, assim podemos jogá-la na cabeça do vizinho maldito quando ele olhar com aquela cara de pastel novamente e desejar o seu ridículo “bom dia”. Chorar e torcer para que passe...Porque, afinal, precisamos guardar algumas lágrimas para o mês que vem.




[esse é antigo, tava lá perdido no meu fotolog empoeirado]

6 comentários:

Theo disse...

hahahahahahhahahahahahaha q medoooooooooooooooooooo
entendi mta coisa


eu ja imaginava
mas ficou mais claro agor
xD

Anna *_* disse...

Ahhhhhh TPM? eu não tenhu TPM, ta ouvindo? nao to d TPM, e sai daki agooora
kakakakakkaa
o pessoal nao tem noçãaao ahauhauha

mt bao caroll
bjao

Gabriel disse...

Adorei! Simplesmente.
Engraçado e ao mesmo tempo, didático! hahahaha

um bejo carnavalesco

carolina disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
tia Rô disse...

Mulheres, todas iguais!!!
O que muda?
Talvez a conta bancária, mas a maldita da TPM...
Adorei e respirei até mais fundo qdo percebi que vc minha pequena cresceu e não é diferente - que pena.
Eu queria apenas saber o comentário de uma médica em plena cirurgia em um homem e em extrema TPM, já pensou?
Demais mais Cá

Hyuga disse...

ahahahahaha, putaquipariu!
Muito bom esse texto! É seu?
Putz... boas dicas para meu relacionamento!