08 novembro 2010

Well, well, Gabriel

Vocês que me perdoem, mas vou contar e fazer inveja.

O Gabriel tem 5 anos e os olhos azuis mais espertos do mundo. No começo do ano, fui morar uns meses com ele, na casa da minha avó, no único lugar onde chove e faz sol com arco-íris tudo junto em fim de tarde.

Quando cheguei pra ficar, meses atrás, ele perguntou por quanto tempo era e eu disse "é até você enjoar". Quarenta dias depois eu fui embora.

Hoje a tarde estive lá, e ele mentiu dor-de-cabeça pra não ir à escola. Tomou remédio pra dor-de-cabeça e daí mentiu dor-de-barriga. Ele queria era ficar comigo mais um pouquinho, e com tanta tia e avó e prima, ganhou a causa.

Deitou do meu lado no sofá pra ver desenho, mas eu sou adulta e não posso mentir dor-de-cabeça mais: chegou a hora de ir embora. Dei um beijo nele e daí ele me quebrou a razão: "Carol, por que você não vem ficar aqui de novo igual da outra vez: até eu enjoar e eu não enjoei!".



*Sobre o título: well, well, Gabriel.

6 comentários:

Anônimo disse...

mas é um texto tão lindo, que dá até vontade em escrever em letras pequenininhas...

Pooh disse...

Orra... é pecado ir contra a vontade de crianças haha...

muito bom o texto...

Vário do Andaraí disse...

Muito legal.

A mão tá pegando a caneta de jeito.

Abço.

Markindomatto disse...

duas conclusões, esse garotinho aprendeu q oq os aduyltos dizem nunca deve ser levado ao pé da letra, e a outra...

Carol, não dá pra enjoar de vc! bjo

Michele Matos disse...

Coisa mais lindaaaa! O texto é tão lindo, que me deu vontade de ter um filho.

Norma Lúcia* disse...

que coisa mais perfeita!! a sinceridade e pureza da criança me encantam.
Bem, adorei o teu blog!! Muito bacana, estarei sempre por aqui! Quando puder, passa pra visitar o meu, viu?
http://passandoprarir.blogspot.com/
beijocas.