26 agosto 2009

Quem bebe sem brindar...


Acompanhei, dias atrás, uma febre que tomou conta dos blogs: as listas. Li muitas coisas legais, como listas de bons livros e de coisas para se fazer antes de morrer, mas nunca achei que listas combinassem muito comigo, que sou tão indecisa e volúvel. E daí que hoje, andando pela rua, reparei em uma coisinha em mim e tive uma idéia: vou listar as superstições que cultivo. Pois é, porque a ciência evolui, mitos são derrubados, mas tem coisas que a gente não larga nunca. E pode vir quem for pra dizer que trevo de 4 folhas na carteira não significa absolutamente nada, quero ver é nego tirar de lá. E o medo de, de repente, ficar mais pobre?
E aí que eu, que sou chegada num número ímpar, vou listar as 7 maniazinhas supersticiosas que levo comigo.

1. bater três vezes na madeira – sempre que penso em coisas ruins, como acidentes ou mortes, preciso “isolar” o pensamento. Se não tem madeira, serve qualquer outro material; o importante são as três batidinhas.
2. desvirar o sapato – não posso ver sapato com a sola pra cima que vou lá e viro para baixo, só não sei se é para evitar a minha morte, da minha mãe ou do dono do sapato.
3. cortar o bolo de aniversário de baixo pra cima – dizem que o primeiro corte tem que ser feito assim, senão o pedido do aniversariante não se realiza.
4. não usar anel no dedo do meio – diz a Kelly Key que isso faz a vida desandar. E eu acredito.
5. fazer pedido a São Longuinho – eu nem sei quem foi este bom homem que me ajuda todos os dias a encontrar celular, óculos ou carteira, mas tenho certeza que grande parte dos pulinhos que ele ganhou até hoje foram meus.
6. passar a mão na barriga de mulher grávida – essa serve para quem quer que os cabelos cresçam rápido. Eu, que cansei de cabelo curtinho, tenho usado deste artifício.
7. dar três pulinhos com o pé direito na virada do ano – essa eu faço todo ano à meia-noite. Se adianta, eu não sei, mas fico a pensar como poderia ser se não fizesse. Melhor não arriscar, né?

E esses dias adquiri, através da minha amiga Mônica, mais uma superstição: dizer “benza Deus” antes de elogiar uma planta, porque, caso contrário, a planta pensa que é inveja, capta a energia negativa e murcha. E não é que um dia chegou um senhor na casa da minha avó e disse “que avenca mais bonita”. No outro dia a planta, coitadinha, era só galho.

4 comentários:

Neto disse...

boom textoo ^^
eu tbm compartilho de fazer a numero 1, a 2 (diz q é a mãe q eu saiba, hehe), 3 e 5 (três pulinhos seeempre)
as outras nem sabiaa, hehe

Michele Matos disse...

Eu levanto os pés quando passo de carro em cima da linha trem, porque senão não casa... Quando eu dirigir vai complicar.
O São Longuinho é muito melhor do que imaginamos, ele ajuda a destravar a internet, consertar coisas,é um santo multifuncional.
=)

Jamile. disse...

Engraçado eu encontrar este tema justo hoje!
Estava pensando nas coisas que faço( ou deixo de fazer) e que acabam influenciando outras pessoas que nem convivo. Sentada esperando o busão, pensei e fiquei na dúvida se seria coisa da minha cabeça, qdo passa 2 garotos e pulam um arbustinho de boldo e dp vem um cheirinho gostoso da planta q me deu felicidade por um instante e pensei: estes 2 garotos não me conhecem e a ação deles influenciou no meu dia. Conclusão: Nossa essência espiritual é real mas, se faz visível quando manifestada através dos nossos atos.

Não consigo sair de casa sem fazer o sinal da cruz no portão,rsrsrs.

Amei teu texto.
Abraços!

anamariacorri disse...

O do Anel eu nao faco nao, nem a da barriga da grávida, ateh pq nem sabia disso... mas o resto.... esqueceu dos 3 golinhos d champagne com 3 amigas no fim d ano, carolll auhhuahuaua
bjooo