06 janeiro 2009

Meus pedidos para 2009

Este é um post de conteúdo subjetivo, pessoal e inútil. É bom avisar, né?


Já é 2009. A festa já passou, as coisas voltaram ao normal. E desde que não sou mais uma adolescente influenciada por wicca, candomblé, filosofias orientais e fases da lua, não faço promessas ou pedidos para o ano novo. Nos últimos anos minhas crenças se resumiram a escolher a cor da calcinha que corresponde àquilo que mais desejo para o ano: rosa = amor, amarelo = dinheiro e por aí vai. Fé na calcinha e só!
Mas nesse final de ano que passou, bem na última semana de dezembro, meu pai descobriu que trabalho na noite. Não, não sou garota de programa, nem stripper, podem tirar o sorrisinho da cara. Trabalho muito mais e ganho muito menos: sou hostess/garçonete/caixa em um pub. Com a descoberta, meu pai, que é desses bem caretas “filhomeunãoseprestaaisso” ficou preocupado, decepcionado e puto, com ênfase para o último adjetivo.
Nessa situação, e sendo meu pai quem paga as contas que o dinheiro que ganho não pode pagar, resolvi que é hora de ter fé e fazer uns pedidos para 2009. Além disso, é meu último ano de faculdade, o que só agrava minha situação.
Então, eu resolvi pedir para 2009 um estágio, ou um bom emprego. Mas levando em consideração que tenho um TCC para fazer, preciso de tempo. Além disso, vou fazer aulas de tecido acrobático e cuidar mais de mim. Então, preciso de um estágio que ocupe, no máximo, meio período do meu dia. E preciso ganhar bem, porque, depois da bronca que levei, sinto necessidade de mostrar para meu pai que sou capaz de me sustentar. É isso que quero, basicamente: um estágio legal, tempo livre e dinheiro.
E agora vocês pensam: ah, com certeza ela fala alemão, além do inglês e espanhol fluente, faz um curso de engenharia de produção, ou mecânica, ou então algo ligado à computação, e mora em uma cidade cheia de multinacionais e escritórios modernérrimos, cheios de gente importante e sedentos por estagiários que terminarão a faculdade em dezembro de 2009.
Pois bem. Agora é hora de vocês rirem de mim. Ou de sentirem pena. Ou os dois. Eu arranho no inglês, enrolo bem no portunhol e só. Moro em Bauru, conhece? Pois é. E a faculdade, uma dica: eu tenho um blog, cabelos curtos e uso óculos de armação moderninha. Adivinharam? Sim pessoal, eu sou estudante de jornalismo. Ooooh! Tudo bem, pela descrição poderia ser também uma futura designer ou publicitária. Mas, se fosse a primeira opção, este blog teria mais figuras. E se fosse a segunda, eu não estaria agora tão preocupada com o futuro. Não que o mercado esteja fácil para os publicitários, mas pelo que observo nos estudantes de publicidade que conheço, eles são mais confiantes. Ou disfarçam muito bem.
Voltemos. Eu queria pedir para 2009 um bom estágio, e por bom entende-se bom salário e pouco tempo de trabalho. E então, os mais esforçados de vocês pensarão: porque ela não arruma um trabalho de 8 horas por dia, como as pessoas normalmente fazem? E a resposta é simples: porque não quero. Porque quero ler meus livros, ver meus filmes, fazer as aulas de tecido, namorar. É assim, sou egoísta. E se eu quisesse trabalhar 8 horas por dia, seria egoísta do mesmo jeito, a não ser que eu trabalhasse para uma ONG que ajuda crianças de rua ou coisa do tipo. Mas daí, não ganharia dinheiro, então, não seria interessante trabalhar 8 horas por dia. Se eu trabalhasse 8 horas por dia só para ganhar mais dinheiro, seria, além de egoísta, gananciosa. Eu sei que lá em cima eu disse que um bom trabalho é aquele em que se trabalha pouco e ganha bem, e aí vocês podem dizer que querendo isso também estou sendo gananciosa. Mas quando falo em ganhar bem, quero dizer ganhar dinheiro para poder me sustentar. E viver está caro, todo mundo sabe. Resta-me desejar tempo.
Então, a menos que eu seja um gênio ou que eu tenha parentes influentes, jamais conseguirei realizar o que pensei em pedir. E como sou só uma menina latino americana sem dinheiro no banco e sem parentes relevantemente importantes, preciso contar com a sorte. Não venha me falar que arrumar um bom trabalho só depende da capacidade do candidato à vaga, porque isso é mentira! Sorte conta, e muito. Na análise do currículo, você tem que ter a sorte de o analisador estar procurando exatamente aquilo que você tem a oferecer. Na prova eliminatória, você tem que ter a sorte de cair algo que você estudou. Na entrevista você tem que ter a sorte de o entrevistador ir com a sua cara. Por aí vai. Sem falar na sorte de não perder o ônibus, de não chover quando você estiver chegando na empresa... (e aqui eu suponho que escrevo para pessoas que levam uma vida ralé como a minha, sem carro e sem papai por perto).
E então, pensando nesse lance todo de sorte, eu percebi que há algo mais fácil para desejar, e que depende em grande parte de mim: ficar gostosa. É, isso mesmo. Malhar, comer frutas e tomar shakes de proteína, deixar o cabelo crescer, tomar sol, colocar lentes de contato e aposentar os óculos de armação moderninha. E então, juntar uma grana, ir para o Rio de Janeiro, entrar em uma balada caríssima no Leblon, conhecer um produtor da Globo, fazer ele se encantar por mim, anotar seu telefone e depois de uns dias pedir um favorzinho “me coloca no BBB 10!”. Uma vez lá dentro, será fácil conquistar o Brasil, ganhar um milhão e viver feliz para sempre. E agora vocês (e percebam que eu suponho que tenho muitos leitores) estão de queixo caído com a minha futilidade. Rá! Peguei vocês!
Não, eu não ficarei gostosa (a não ser que as aulas de tecido acrobático possam fazer isso por mim) e não me sujeitarei a ir até o Rio somente para xavecar um produtor da Globo. Continuarei em Bauru me esforçando para ser um dia uma boa jornalista. E desejo mesmo um bom estágio, mesmo sabendo que as condições que exijo são utópicas. Também desejo a paz na faixa de Gaza, porque ser egoísta não é ser desumano. E lá para setembro de 2009 vou enviar para a Globo uma gravação minha, dizendo que sou estudante, fiz teatro, faço tecido acrobático e bamboleio. Só pra garantir.

6 comentários:

Theo disse...

larga de ser bobaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa

te amo
e para de escrever tanto

escreve textos pequenos amor XD

adjiadjasdjasjda

eu li tudo e nem acredito

bjao

Daniel Faria disse...

ô carol, o que são 'aulas de tecido acrobático'? :s

feliz 2009 pra você e seus estágios vindouros. e o bbb desse ano já vai começar e nada de você lá. tsc tsc tsc.

beijos!

Tatiana disse...

Haha

Ia escrever algo parecido com oq o Theo falou. Pq foi nisso q pensei: "Como o texto dessa guria conseguiu me prender tanto para me fazer ler até o final?" Hehe
Eu me formei em Jornalismo. Me formei também em Letras. E no meio das duas faculdades, fazia um estágio de 4 horas por dia. Por isso, concordo com você. Não abra mão de ter tempo para você.

Gostei muito daqui. Take easy and good luck.
Vc vai sobreviver. Hehe

tatilazz.zip.net

Jefferson Cristian Machado; disse...

Tens todo o direito de trabalhares apenas o tempo que necessitas para sustentar a tua existência dentro do sistema capitalista. Creio que o acréscimo que terás se muito maior do que se estivesse presa a algo que, muitas vezes, tu talvez nem mesmo estejas interessada em fazer. Além disso, a vida é deve ser vivida, não apenas passada. Nunca vivas para trabalhar, estarás invertendo os papeis.
Quanto à sorte, sou obrigado a dizer que não creio nela, prefiro a idéia de que as coisas estão ao nosso alcance e não além daquilo que podemos manipular (e podemos manipular muitas coisas).

Gostei do texto.

Beijo.

Deborah Cabral disse...

Ficar gostosa? Aí vc ta pedindo pra alguem q ta começando no Wushu pra te dar uma surra!!!

Se eu posso desejar alguma coisa para 2009, que seja tao bom para mim como foi 2008 (no que diz à companhia a 9 andares do solo...)

Anônimo disse...

Aprendi muito