24 novembro 2007

Música, bar e as gerações

Hoje eu tive a prova de que o tempo passa e as coisas não mudam. Ou se mudam, é pouco, um detalhezinho aqui, outro ali. Acontece que meu pai foi me buscar na rodoviária e antes de vir para casa passamos num barzinho de uns amigos dele, coisa de família, desses que a gente entra atrás do balcão, pega a cerveja e tals. Cheguei lá e tava rolando um DVD dos Guns’n’Roses. Fiquei surpresa, achei que os caras tinham desaparecido total, que tinham mesmo caído no esquecimento, como dizem. Fiquei lá vendo o Axl e lembrando das letras (sim, eu era fã!), quando apareceu o dono do DVD: Jorge, 14 anos. Ele reparou na atenção que eu dedicava à TV e veio me perguntar “você curte?”. Não soube muito bem o que responder. Se falasse que sim estaria mentindo, porque, como disse, pra mim os caras agora não estavam mais com nada. Se falasse que não, de certa forma, mentiria também, porque há uns 5 anos havia um pôster do Axl na parede do meu quarto. “Já curti muito!”. O Jorge sorriu e me contou que só falta um CD pra completar a coleção. E continuamos assistindo ao show. E eu achei o máximo: a nova geração curtido coisas que eram sucesso quando eu tinha 14 anos! Porque o Jorge nasceu em 93, mais ou menos. Logo, já posso considerá-lo de uma outra geração que não a minha. Ele mal sabia que Guns tocou no Brasil, no Rock’n Rio. E eu fiquei louca pra ir. Ele não pode ver ao vivo um show com o Axl magrinho, enrolado na bandeira dos EUA. Eu vi, ainda que pela TV.
E daí pensei em mim: curtido Chico Buarque, Cazuza e me encantando pelo Ney Matogrosso. Coisas que talvez o Jorge, com seus 20 anos, curta também (sorte dele se assim for!). E tem o Bob Dylan, os Stones, Beatles. E ainda o Belchior, que disse sabiamente que apesar de ter feito tudo o que fizemos, ainda somos os mesmo e vivemos como nossos pais.

3 comentários:

Notícias Mentirosas disse...

É isso aí, matou a charada.
E o Axl que fez um showzasso no RR como vc falou aí. E ainda causou com o Oasis, que obviamente, não gostaram nada nada de não serem a atração principal da noite...

Tomara mesmo que o Jorge e tbm o meu irmão, o Lucas, que tem 14 anos também, ouçam esses nomes que vc aí colocou.
Qndo jovem, 15 anos mais menos, eu criticava muito as coisas que minha mãe ouvia, sobretudo Beatles. E hoje, bem hoje, ouço-os toda semana! A gente só pensa que muda!

valeu, boa estória!

PS. Esse é o nvo blogue Carol, o outro foi-se !

Gabriel.

K.C disse...

é, e esses dias eu tocava no violão uma música que eu amo e ouvi ao fundo minha mãe cantando, e ainda disse :"essa era o auge do meu tempo". Juro que senti uns fios brancos na cabeça!

Novo blog, carol! x)

beijo

keissy

K.C disse...

hey, obrigada pelos elogios ao blog x)

ah, a música que eu tocava era "you´ve gotta friend" da caroline alguma coisa que não me lembro agora. Algo do estilo "baladinhas que duram a eternidade" rsrs x)